quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

EU VI E GOSTEI - Vídeos atuais

O Natal já está chegando e eu vou presentear a todos os meus amigos (e amigas) novos ou mais recentes com esta linda tradução dos Commodores. Para antecipar o dia muito especial (25/12), no meio deste mundo louco e cheio de mentiras e invejas, as pessoas terão de se amar mais, compartilhar presentes e colecionar amizades verdadeiras e rever os antigos amigos que fizeram parte da sua vida. O Velhas Boas agora vai dar mais uma parada e em breve teremos mais saudades e atualidades para vocês curtirem mais um pouco das histórias do seu artista preferido, músicas e muito mais, tenham a todos um Feliz Natal e um ótimo Ano Novo. Que 2012 venha com tudo de bom, paz amor e muita alegria no coração, até breve!!!!!!!!!!!!

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011


A Rádio Mundial é uma emissora de rádio brasileira da cidade do Rio de Janeiro. Foi a sucessora da PRA-3 Rádio Clube do Brasil, a segunda emissora de rádio do país, fundada em 1924, passando em 1927 a operar nos 860 kHz. Em 1937 altera seu nome para Rádio Cajuti (Tijuca ao contrário) pois fora vendida ao Tijuca Tênis Clube, que transfere os estúdios para a sede do clube. O clube a vendeu ao Diário da Noite do Rio de Janeiro em 1948, que tinha interesse na concessão de canal de televisão que a emissora detinha no Rio,alterando novamente seu nome para Rádio Mundial. Comprada pelas Organizações Victor Costa em 1954, em 1959 é alugada para o radialista Alziro Zarur, fundador da Legião da Boa Vontade. Em 1966 foi vendida ao Sistema Globo de Rádio junto com o restante da OVC.
A partir de 1966 o radialista e disc jockey Big Boy assumiu a direção da emissora e a Mundial passou a ter um fase musical, competindo com a Rádio Tamoio das Emissoras Associadas, que também apresenta uma programação musical, dedicada ao público jovem. Na década de 1970 a emissora investia na black music e no rock.
Em março de 1977 Big Boy morria. A partir da década de 1980, devido ao aumento da audiência das emissoras FM, a rádio foi decaindo aos poucos e em 1991, a frequência 860 kHz se transformou na CBN Rio de Janeiro, uma rádio de notícias. O Sistema Globo de Rádio tinha frequência 1180 kHz da antiga Eldorado AM (que até a década de 1970 já havia sido ocupada pela Rádio Globo), que passou a transmitir a CBN Rio de Janeiro em 1991. A CBN passou a operar em definitivo em 860 kHz em 1996 e , nesse mesmo ano, a Mundial voltava ao ar nessa frequência tocando samba e pagode. A Mundial transmitia as corridas de cavalo do Jockey Club do Brasil.
Em 2002 a frequência foi revertida à ONG Viva Rio que se virou Viva Rio AM. Somente as corridas do Jockey Club eram transmitidas por razões contratuais. A partir de 2005 o contrato com a Viva Rio se encerrou e a Mundial voltava novamente ao ar tocando músicas sem parar.
Em de 2008, o Sistema Globo de Rádio encerrou o contrato que tinha com o Jockey Club e começou um processo de arrendamento da rádio. No dia 27 de maio de 2008 entrou no ar a nova Rádio Mundial. A emissora ganhou um ar mais jornalístico com notas intercaladas com execuções musicais.
No dia 30 de janeiro de 2009, a emissora encerrou suas atividades, passou a apenas ter execuções musicais. Em fevereiro foi arrendada a Igreja Mundial do Poder de Deus.

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011


******VELHAS BOAS MUSICAL******
Esta semana: Leão Ferido - Byafra


Feche os olhos
Não te quero mais
Dentro do coração...

Quantas vezes
Eu tentei falar
Com você...
Eu não gosto
De me ver assim
Mas não tem solução
A verdade dói
Demais em mim
Solidão...
Tenho que ser bandido
Tenho que ser cruel
Um leão ferido
Feroz!
Sou um herói vencido
Anjo que fere o céu
Grito de amor sumido
Na voz!
Que voz!
Ouve!

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011


Ele voou voou, subiu subiu e já é sempre lembrado. O cantor Byafra ( Maurício Pinheiro Reis), surgia na cidade de Niterói (Rio de Janeiro) a banda O Circo, que lançou Biafra como vocalista. Seus maiores sucessos, "Leão Ferido" (incluído no álbum Despertar - 1981) e "Sonho de Ícaro" (incluído no álbum Existe Uma Idéia - 1984), lhe renderam dois Discos de Ouro. Compositor de muitos temas de novelas, lançou 14 álbuns, que venderam mais de meio milhão de cópias.
Suas músicas também foram gravadas pelos maiores ídolos da MPB. Em 1998, antes do lançamento do álbum Ícaro, trocou o "i" pelo "y" em seu nome artístico (de Biafra para Byafra) para evitar aparecer na mesma página da guerra civil nigeriana nos sites de busca da internet. Atualmente ainda mora em sua cidade natal. No dia em que Byafra nasceu (15 de outubro de 1957), os americanos perdiam o sono com o Sputnik (primeiro satélite feito pelo homem) lançado 11 dias antes pelos soviéticos e que sobrevoava Nova York seis vezes por dia. Três meses depois do nascimento do cantor, o clube que viria a ser uma de suas grandes paixões, o Botafogo, comemorava um dos maiores campeonatos de sua história, após golear o Fluminense na final por 6X2. No Planalto Central, o presidente Juscelino Kubitschek acelerava seus candangos para inaugurar Brasília dentro do prazo.
No mundo da música, Elvis Presley dava as cartas no cenário internacional e no Brasil, a Bossa Nova ainda engatinhava. Os fenômenos que iriam forjar a personalidade musical de Byafra ainda estavam em gestação. A salada formada por Beatles, Roberto Carlos, Caetano Veloso, Pink Floyd, Fagner e Novos Baianos - algumas de suas principais influências – estava apenas sendo preparada para entrar no cardápio dos anos 60.
Desde que recebeu a flauta das mãos da Dona Aura, Byafra passou a se alimentar de música todos os dias. A vontade de cantar o levou ao Coral do Centro Educacional de Niterói, comandado pelo Maestro Hermano Soares de Sá. Logo, estaria embarcando com seus colegas de Coro para várias apresentações incluindo uma participação internacional no Festival de Aberdeen, na Escócia, para cantar peças de Villa-Lobos. Foi nessa época, por ser muito magro, que recebeu dos colegas de escola o apelido que viria a adotar como nome artístico
Na metade dos anos 70, a carreira musical já era seu principal projeto de vida. E foi nessa época que nasceu O Circo, banda que teve rápido sucesso em apresentações em Niterói e no interior do Estado do Rio. Como principal vocalista do grupo, Byafra começou a ganhar intimidade com os palcos. E foi acompanhado por seus colegas de O Circo, que Byafra entrou pela primeira vez no velho estúdio da CBS (hoje Sony Music), na Praça da República, centro do Rio de Janeiro, para gravar seu primeiro álbum, na época editado em LP e cassete.
Lançado em 1979, “Primeira Nuvem” foi rapidamente adotado pelas rádios de todo o Brasil. Uma das canções, composta pelo próprio Byafra e por Luiz Eduardo Farah, transformou-se em grande sucesso: “Helena”. Poucas semanas depois de introduzida nas rádios, essa faixa ganhou popularidade ainda maior ao ser incluída na trilha sonora da novela Marron Glacê, da Rede Globo. Esta mesma emissora iria, ao longo dos anos, solicitar mais sete músicas de Byafra para suas novelas (ver lista abaixo), identificando suas canções com vários personagens famosos.
Já em seu terceiro álbum – “Despertar” (1981) Byafra recebe seu primeiro Disco de Ouro ao superar 100 mil cópias vendidas, impulsionada pelo impressionante sucesso rediofônico de “Leão Ferido” (Byafra e Dalto), música mais executada pelas emissoras brasileiras no ano de seu lançamento e que mais tarde receberia novas interpretações de artistas como Simone.
Em 1984, mais um Disco de Ouro em seu álbum de estréia na gravadora Ariola, hoje com seu catálogo incorporado à Universal. Dessa vez, a música que explodiu nas paradas de todo o Brasil, foi “Sonho de Ícaro” (Piska e Cláudio Rabello).
Desde esse início vitorioso até hoje, Byafra jamais deixou de ter suas canções cantadas e lembradas por fãs de todas as gerações. São ao todo 12 álbuns inéditos e duas compilações que compõem um capítulo importante da Música Popular Brasileira. Como compositor Byafra registrou sua obra na voz de grandes artistas como Roberto Carlos, Ney Matogrosso, Simone, Chitãozinho & Xororó, Chrystian & Ralf, Rosana, Xuxa, Angélica, Danilo Caymmi e muitos outros.
No dia 8 de Setembro de 2009 foi lançado um vídeo no site youtube no qual Byafra é atingido involuntariamente por um parapente enquanto cantava para uma gravação de TV, a música de seu maior sucesso, Sonho de Ícaro, no Rio de Janeiro. Um episódio cômico da vida de Byafra, que encarou a situação com muito bom humor.

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Velhas Boas aberturas - VIDA DE CACHORRO (FAMILY DOG)

Estreando este novo quadro e a renovada neste blog, veja a abertura que marcou minha infância nos anos 90: Vida de Cachorro. O desenho passou na Globo no ano de 1995, e nunca mais ele foi reprisado (também em outras emissoras de TV, a seguir, duas aberturas, o original e o da TV Globo.

terça-feira, 8 de novembro de 2011


VELHAS BOAS ATUALIDADES

Nesta terça-feira (8), Justin Bieber postou em seu perfil no Twitter seu novo clipe, da música Santa Claus is Coming to Town, que está no novo álbum, Under The Mistletoe. No vídeo, o astro teen aparece em forma de desenho animado.
Bieber lançou recentemente o novo disco, que conta com participações de Mariah Carey, Busta Rhymes, Usher, Boys II Men e The Band Perry. O cantor aproveitou a novidade para promover uma campanha beneficente; ele pediu aos fãs que doem qualquer tempo e dinheiro para seu projeto The Believe Charity Drive, que beneficia entidades que estão fazendo a diferença no mundo.

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

ESTAÇÃO CINEMA - A Tartaruga Manuelita


Manuelita é uma animação infantil da Argentina de 1999. A versão brasileira foi dublada por Jackeline Petkovic e Babi Xavier, na época apresentadoras do SBT. Nascida em Pehuajó, um lar de amor e ternura, Manuelita é uma pequena tartaruga que consegue chegar a Paris, fazendo muito sucesso no mundo da costura. Apesar do sucesso a tartaruguinha sente saudades de sua família e amigos e resolve voltar para casa. manuelita é uma pequena tartaruga,mas o sonho dela era voar de balão,.Todos tentam impedi-la de voar,mas,não conseguem,então o balão cai no mar e vários piratas pegam ela,então depois ela vai para paris e vira uma supermodelo ,mas sente falta de sua familia e do garoto que ela amava. (fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Manuelita)

terça-feira, 11 de outubro de 2011

******VELHAS BOAS MUSICAL******
Esta semana: Cheia de charme - Guilherme Arantes



Quando a vi, logo ali, tão perto
Tão ao meu alcance, tão distante, tão real
Tão bom perfume, sei lá

Investi tudo naquele olhar
Tantas palavras num breve sussurar
Paixão assim não acontece todo dia

Cheia de charme, um desejo enorme
De se aventurar
Cheia de charme, um desejo enorme
De revolucionar

Me perdi entre os seus cabelos
Pela sua pele, nos seus lábios tão macios
Tao bom perfume, sei lá

Investi tudo naquele olhar
Tantas palavras num breve sussurar
Paixão assim não acontece todo dia (repete refrão)

quinta-feira, 6 de outubro de 2011


Um lance legal que começou com um fantástico artista da MPB, Guilherme Arantes Começou sua carreira como tecladista e vocalista da banda Moto Perpétuo, grupo de rock progressivo dos anos 70. Em 1976, "um anjo mau, desses que vive nas telas de TV, disse: Vai, Guilherme! ser sucesso na vida. E ele foi." Mas, já em 1977, Guilherme Arantes, paulistano da Bela Vista – o famoso bairro do Bixiga - declarava à Folha de S. Paulo, bravo: "Eu não abandonei a FAU (Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo) no quarto ano para ser herói de gravadora". Referia-se a uma pendenga com a Som Livre. Até hoje Arantes é polêmico no que se refere a suas declarações, no que concerne ao mercado fonográfico.
Na mesma entrevista, ele explicava: "minha geração de músicos saiu aos trancos. O tempo dos festivais tinha passado e o dos grandes movimentos musicais também. Além disso, o momento estava mais para parar que para começar." A verdade é que, com o fim do Moto Perpétuo, grupo de rock progressivo, que durou de 1974 a 1975, veio o vazio. Ele mesmo confessaria: "o Moto Perpétuo durou quase um ano e quando paramos eu fiquei um pouco perdido".
Foi nessa altura da vida, que uma de suas composições estourou e foi utilizada na trilha sonora da telenovela Anjo Mau (de Cassiano Gabus Mendes, exibida na Rede Globo em 1976). E quem não se recorda da famosa frase musical "quando eu fui ferido, vi tudo mudar", que a rigor, segundo Arantes declarou a Leda Nagle, no Sem Censura, da TVE Rio, seria originalmente "me atirei no mundo e vi tudo mudar". A canção teria sido mudada às pressas, a pedido do produtor musical da telenovela, para adequar-se ao personagem vivido pelo ator José Wilker, reinterpretado mais tarde, em 1997, pelo colega de Polissonante – o primeiro grupo amador de Arantes – o ator Kadu Moliterno.
Quanto a Meu mundo e nada mais - a tal canção - se tornaria um ícone no imaginário popular brasileiro - identificada já nos primeiros acordes - a famosa abertura de solo de piano. Daí para a frente foram 25 temas para telenovelas da Rede Globo, várias canções incluídas em especiais infantis, entre elas o tão famoso Lindo balão azul, que o tornaria famoso nacionalmente, muitas gravações por parte de grandes nomes da MPB, incluindo o rei Roberto Carlos, Elis Regina, Sá e Guarabira, MPB4, Caetano Veloso, Emílio Santiago, Maria Bethânia, Leila Pinheiro, Joanna, Fafá de Belém, Quarteto em Cy, entre tantos outros, além do bônus de "Deixa chover" tocada em "Joana, a Virgem" – telenovela de produção venezuelana.
E, com isso, lá se vão mais de trinta anos de carreira solo e o reconhecimento imediato de pelo menos vinte canções que ele canta e toca na televisão ou nos cerca de 140 espetáculos ao ano que promove Brasil afora. É fato corriqueiro ouvir o público cantando euforicamente seus 20 maiores sucessos com ele, em shows, embora declare, sempre nos bastidores, que jura que ainda vai gravar um disco chamado "Os Vinte Maiores Fracassos de Guilherme Arantes", com muitas de suas canções mais bonitas e que, por uma razão ou outra, não foram muito executadas.
Foram também 34 coletâneas e 25 discos de carreira, incluindo Clássicos (1994), em que propunha novas versões para os clássicos da música internacional do período 1968-1972, mas, como "bom leonino", e "inconformado" com "apenas isso" para sua extensa carreira de 30 anos, Arantes possui ainda, e para o orgulho do Brasil, já que ele é o único a obtê-lo até agora, o "certificado Steinway", da famosa fábrica americana de pianos, uma espécie de ISO 9002 dos pianistas mundiais.
Gravou, ainda, em 2000 um disco com características new age intitulado New classical piano solos, em que demonstra todo seu requinte pianístico, e que tem nos vocais a filha mais velha Marietta. Em 2001, gravou seu acústico, pela Sony Music, no Teatro Mars – no velho Bixiga – em São Paulo, que lhe rendeu também um DVD ao vivo, naquele mesmo ano.
Em 2003, após quatro anos sem disco de inéditas, retornou à gravadora Som Livre, com o álbum "Aprendiz", que trazia a música "Casulo", tema da novela "Agora é que são elas" (TV Globo) e nesse período também passou a realizar, esporadicamente, shows com Leila Pinheiro e outro com Flávio Venturini.
Em 2007, lançou pela Som Livre, dois produtos de uma só vez: o CD/DVD Intimidade, com os maiores sucessos reunidos em versões acústicas, gravados em clima intimista em seu Estúdio Coaxo de Sapo, na Bahia e o CD de músicas inéditas Lótus, com destaque para a retomada de parcerias com Nelson Motta, em "Vaivém (Amor de Carnaval) e "Verão de 59", além de "Disque Sim", música composta com Max Vianna, filho de Djavan. Nesse disco, a maior surpresa é o rap "Tributo" (cena de Cinema), uma valorização aos ídolos da Raça Negra. Na turnê de divulgação desse novo disco, que passou por São Paulo em fevereiro/2008, lotando o Citibank Hall, pelo menos 21 músicas são tocadas, em versão solo ou Banda.
Assim, nesses últimos trinta e quatro anos, Guilherme Arantes, que nunca negou sua eclética multiformação musical, de quem começou tocando chorinho aos quatro anos de idade, num cavaquinho presenteado pelo pai, o doutor Gelson Arantes, médico e amigo do doutor Paulo Vanzolini, transitou do rock ao pop, do pop à MPB, da MPB a New Age, da New Age de volta a MPB com uma familiaridade de dar inveja a qualquer músico de primeiríssima linha do cenário mundial. "Sou um pouco de tudo", diz Guilherme Arantes, "e o que mais me inspira é o amor, departamento mais fascinante do ser humano, que foge à racionalidade e é um mundo vasto, profundo."
Isto remete, de imediato, ao cantor de Êxtase, Prelúdio, Um dia, um adeus. Mas, o paulistano da Bela Vista Guilherme Arantes está longe de ser somente reconhecido por esse repertório de canções românticas.
Garoto prodígio, tocou cavaquinho e bandolim aos 4 e piano aos 6. Deixou professores de piano de cabelo em pé e literalmente na mão. Em função de sua rebeldia musical tornou-se praticamente um autodidata. Músico profissional aos 15. Músico de baile aos 17. Tecladista do irreverente Jorge Mautner aos 19.
Aos 21, por influência do que acontecia na Europa pós-Beatles, torna-se progressivo, no já cultuado Moto Perpétuo. Verde Vertente hoje consta imponente em antologia do rock brasileiro dos anos 70, ao lado de A Barca do Sol, O Terço, Som Imaginário, Joelho de Porco, Bixo da Seda, Casa das Máquinas, entre outros.
Aos 23, Guilherme Arantes abandona a Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, da Universidade de São Paulo (FAU-USP), e passa a tocar 530 vezes na novela das 7 da mais poderosa das emissoras brasileiras, o que acabaria lhe rendendo o apelido de "menininho da Globo".
Mais tarde, uma jornalista da Folha de S. Paulo diagnosticaria: Um Anjo Mau disse: "Vai, Guilherme, ser sucesso na vida... e ele foi". E o tema Meu mundo e nada mais, adaptado para o personagem de José Wilker, em Anjo Mau, em 1976, seria só a porta de entrada de sua carreira solo, via Som Livre. A partir daí, foram 25 novelas, 25 discos de carreira, 34 coletâneas, um DVD acústico solo, em 2001, pela Sony, outro em 2007, pela Som Livre (Intimidade), projetos de outros com Leila Pinheiro, Flávio Venturini e, eventualmente, com algumas orquestras sinfônicas que se dignam a tocar MPB.
O novo DVD, pela Som Livre, gravado em sua ONG - Instituto Planeta Água/Estúdio Coaxo do Sapo - na Bahia - abriu a série Intimidade para a Som Livre, em 2007.
Exatos trinta anos antes, em 1977, para a telenovela Duas Vidas , de Janete Clair, Guilherme compôs Cuide-se bem. No mesmo ano, a belíssima Baile de Máscaras entrava na trilha de uma novela fadada à incompreensão: Espelho Mágico, de Lauro César Muniz, que se constituía no retrato do retrato: a metalinguagem do mundo da TV.
Em 1979, para Pai Herói também de Janete Clair, indicaria 14 anos, do disco A Cara e a Coragem (Warner Music), que tratava da temática de um jovem, anos 70, meio angustiado e perdido numa sociedade que se industrializava em nome do progresso.
Mas, enquanto suas músicas faziam sucesso nas trilhas de novelas, o angustiado e inquieto Guilherme trilhava caminhos quase alternativos. No mesmo momento em que os também inquietos e irreverentes músicos da Vanguarda Paulista frequentavam os embolorados porões do Lira Paulistana, na Praça Benedito Calixto, reduto do inconformismo musical dos anos 80, Guilherme se lançava no projeto de Coração Paulista, que se não foi um grande sucesso de público, tornou-se cult e sucesso de crítica, abrindo caminho para que Elis Regina lhe telefonasse pedindo um hit. E o hit veio imediatamente com Aprendendo a Jogar. Elis também gravaria Só Deus é quem sabe.
Em 1981, uma nova guinada: na trilha sonora da novela Baila Comigo, de Manoel Carlos, estoura com Deixa Chover, tema para a personagem de Betty Faria.
Logo em seguida, Guilherme se tornaria alvo de uma polêmica histórica na MPB - qual era a melhor canção do II MPB Shell, de 1981 - Purpurina cantada por Lucinha Lins, que ganhou o festival debaixo de uma vaia de 10 minutos - ou Planeta Água, aclamada pelo público minutos antes, e segunda colocada ?
A partir de 1982, Guilherme passa a estourar um ou dois hits pop a cada disco (cd). O melhor vai começar, Lance Legal, Pedacinhos, Graffitti, Cheia de Charme, Fã Número 1, Olhos Vermelhos, Coisas do Brasil, Marina no Ar, Ouro, Loucas Horas.
Em 1987, a canção Um dia um adeus torna-se um hit inimaginável na carreira de Guilherme, competindo com O amor e o poder da talentosa cantora Rosana, como tema dos personagens de Vera Fischer e Nuno Leal Maia, na também polêmica Mandala, de Dias Gomes e Aguinaldo Silva.
Em 1989, um magnífico CD - Romances Modernos - traz Muito Diferente e o tema de Edson Celulari, Raça de Heróis, na já cultuada Que Rei sou eu?!, de Cassiano Gabus Mendes. Em 1990, um Guilherme mais "social' surge em Pão. O disco refletia a maturidade do pai de (então) quatro filhos, vendo-os crescer num mundo que parecia tentar o alvo da desmilitarização e enveredava pela modernidade de CDs, DVDs, Internet. Mas que também trazia a moda do sertanejo, do forró, do axé e de outros ritmos ultra populares, "impostos" pela mídia. Mídia essa que, irremediavelmente, também se popularizava, depois de tantos planos econômicos, e que, de certa forma, deixaria a MPB um tanto à deriva, no mar revolto da indústria fonográfica.
Viriam ainda, naquela década, os CDs Crescente (1992), Castelos (1993) e Clássicos (1995), esse último um projeto para o próprio prazer, como declararia à época, em que pôde revisitar velhas canções do seu imaginário adolescente, e que já haviam se tornado clássicos do pop mundial. Isso aconteceu sob a batuta do maestro e arranjador inglês Grahan Preskett, que já trabalhara com Maria Bethânia. Em 1997, veio a Maioridade, pela Globo/Polygram, marcando seus 21 anos de carreira. Em 1999, lança um disco pela Playarte, trazendo um Guilherme muito romântico, mas ao mesmo tempo preocupado com o novo milênio, que se aproximava, além da regravação de Na linha do horizonte, do também progressivo Azymuth.
O ano 2000 trouxe um Guilherme Arantes tocando progressivo/new age, no CD totalmente instrumental New Classical Pianos Solos. Trouxe, ainda, um Guilherme animado com o convite da Steinway Hall, para ser o segundo brasileiro, depois de Guiomar Novaes, a tocar em seu famoso lounge, com alunos da Julliard School e a presença marcante de Marietta Arantes, sua filha mais velha, nos vocais.
Mas, os anos 1990/2000, além da modernidade do digital trouxeram também a pirataria: a do camelô de esquina e a internalizada pela praticidade do MP3. Artistas da MPB em geral, todos, passavam a buscar seus próprios caminhos a trilhar, num mar de cópias falsas. Mas o CD traz, também, a imposição das regravações e Guilherme completa 34 delas em poucos anos: uma fórmula mágica, também, das gravadoras girarem seus catálogos, sem o ônus dos relançamentos.
O DVD, no final dos anos 90, início dos 2000, trouxe a obrigatoriedade do "ao vivo". A moda, implementada aqui pela MTV, lança a obrigatoriedade do "unplugged": o nosso "acústico". E lá foi, de volta, o nosso Guilherme, aos então quase vinte e cinco anos de carreira para o bom e velho Bixiga, onde nasceu, para filmar, no Teatro Mars, o seu acústico para a Sony, devidamente equipado com seu boné ao estilo Elton John, seu indefectível tênis vermelho de skatista e duas músicas inéditas: Vai ficar prá mim, uma balada de despedida, e Prontos para amar, tema para a jovem atriz Taís Araújo, em Porto dos Milagres, de Aguinaldo Silva, para o horário das 21 horas.
Em 2000, veio, na vida pessoal de Guilherme, a saída de São Paulo, rumo a Salvador, Primavera e Outono, uma namorada mais que amada, e que ele lançaria em música, em 2004, em primeira mão na web - uma experiência bastante interessante.
Em 2003, também, chegaria Aprendiz , em que Guilherme se renovava na busca de novos ensinamentos: um verdadeiro "aprender para ensinar" (em sua ONG: o Instituto Planeta Água), como preconiza a pedagogia do ilustre pensador Paulo Freire. Naquele mesmo momento, Casulo vai para a trilha de Agora é que são elas, uma novela que ficou pouquíssimo no ar, devido a uma certa incompreensão por parte do grande público.
Em 2007, Guilherme Arantes abre o Live Earth Rio, cantando Planeta Água. No mesmo ano,um novo CD de inéditas é editado: nasce Lótus. Mais que seu 25º disco de carreira (incluindo o CD do DVD Intimidade), é uma flor que nasce do tempo. Do tempo de estrada consolidada por um músico multifacetado e quase atípico. Esse Guilherme Arantes múltiplo e quase sempre cheio de novas ideias, como aquele jovem que compôs Amanhã, em um ônibus da antiga CMTC, na subida da Rua Augusta, rumo ao centro da cidade de São Paulo, ainda nos tempos da Faculdade de Arquitetura da USP (FAU - USP), em um caderno de anotações.
Lótus chega como o novo projeto daquele Guilherme Arantes que não se deixaria influenciar maleficamente por um Maracanãzinho superlotado gritando seu nome, em 1981. Nem por dezenas de hits. Nem por dezenas de gravações e regravações por parte de grandes nomes da MPB, entre os quais Caetano, Elis, Roberto Carlos, Maria Bethânia, Fafá de Belém, MPB4. Pelo contrário. O que se observa, no momento, é um Guilherme super tranquilo, morando na Bahia, desde 2000, e recém redescoberto pelos(as) jovens cantores(as) brasileiros(as) - Mart'nália, Paulo Ricardo, Max Viana, Pedro Mariano, Zélia Duncan, Adriana Calcanhoto, Vanessa da Mata.
Adriana incluiria Meu mundo e nada mais, de 1976, no seu mais recente show - Maré - depois de um momento difícil em sua turnê por Portugal, no início de 2008. Mais recentemente, também, a brilhante Vanessa da Mata "redescobriria" a linda canção Um dia, um adeus, de 1987, para o repertório de seu primeiro DVD, gravado ao vivo em Paraty, para o canal Multishow, que entrou para a trilha sonora da Novela Global Cama de Gato, exibida às 18h.
Assim, o que se tem, nesse momento, que marca esta trajetória musical vitoriosa, de praticamente 35 anos, é um Guilherme Arantes tranquilo, vivendo com a família na grande Salvador, mas sempre em busca de novas sementes para o replantio em sua ONG - em Barra do Jacuípe - sua faceta mais visível de biólogo/ecologista amador, o que, de vez em quando, lhe rende uma queda de árvore, fato que com frequência relata nas palestras que ministra sobre a temática do meio ambiente, Brasil afora. Há, ainda, um outro Guilherme que vive em busca de soluções arquitetônicas para a construção de sua pousada-estúdio Coaxo do Sapo. Sim - ele também voltou às pranchetas e aos "autocads da vida" - para a enorme alegria de sua mãe - a Dona Hebe - que ainda sonha com sua volta para as aulas na FAU - USP. Isso tudo sem deixar de lado, claro, as inevitavelmente presentes inspirações musicais, que ele, de quebra, quase sempre registra no seu bom e velho caderninho de anotações.
Guilherme produziu em 2010 o CD do cantor e compositor Sérgio Passos, para o selo Coaxo do Sapo, lançado recentemente.
Guilherme Arantes: 35 anos de trajetória artística / Lótus e Intimidade: os mais recentes CD e DVD de Guilherme Arantes, pela Som Livre.

sábado, 1 de outubro de 2011


VELHAS BOAS ATUALIDADES


Quem é fã de Rock como eu deve se sentir órfão nos dials cariocas, perdemos a Fluminense FM, depois a Rádio Cidade, Fluminense voltou e se foi de novo. Agora parece que a Kiss FM, rádio focada no classic rock, está vindo para a nossa cidade. É o que diz o Meio & Mensagem (para assinantes).

A rádio opera em São Paulo, Campinas, litoral paulista e Brasília, e está investindo R$ 16 milhões para vir para a nossa cidade, o investimento inclui a compra de frequência e equipamentos.

P.S.: ainda não sei qual vai ser a posição dela no dia, a que está na imagem é na estação de Sampa.

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Clip saudades

Se ele ainda estivesse vivo, completaria (no dia 16/10) 59 anos. Ronaldo Resedá era um cantor e dançarino que mostrava toda a sua arte e seu estilo de cantar e (com todo charme), dançar pra valer. E pra relembrar este saudosíssimo cantor, veja o vídeo do final da novela Plumas e Paetês, onde Ronaldo aparece cantando a música "A Última Moda", inesquecível e também cheio de brilho, glamour e beleza.

segunda-feira, 12 de setembro de 2011


VELHAS BOAS ATUALIDADES


Em meados de 2010, Lenny Kravitz achava que seu novo disco de estúdio estava bem encaminhado. O prosseguimento a 'It’s Time for a Love Revolution’ (2008) era, segundo ele, “um álbum com muito funk, bem interessante”, e já estava quase completo.

Então as coisas mudaram.

“Enquanto estava terminando aquele outro álbum”, conta Kravitz, "comecei a escrever outras canções. Elas vinham do nada, e não tinham nenhuma relação com o que eu estava fazendo. No começo, imaginei: 'Bem, eu as colocarei de lado por enquanto, mexo com elas depois’. Mas elas continuaram vindo, uma, duas, três, quatro delas. E eu estava sonhando grande parte das músicas.

Elas estavam simplesmente vindo a mim, e era algo muito fluido. Senti que precisava fazer aquilo imediatamente’'.

“Naquele ponto”, diz ele, "você pode seguir seus planos ou seu ego o que for, ou você vai onde o espírito criativo o está levando – e eu sempre sigo isso. Então tive de dizer: 'Bem, acho que este é o caminho que tomarei’. E parti para fazer 'Black and White America’''.

O álbum de 16 faixas, que o próprio Kravitz produziu e onde ele toca a maioria dos instrumentos, ainda tem seu lado de funk, incluindo o primeiro single, 'Stand’, e a jam da velha guarda 'Super Love’. Mas as outras faixas levam Kravitz muito longe, dos fortes riffs de 'Rock Star City Life’ e 'Come and Get It’, que a NBA usou para anúncios publicitários promocionais, à atmosfera arejada de 'I Can’t Be With You’, a sensação psicodélica de 'Sunflower’, que traz participação de Drake, e os tons de reggae de 'Boongie Drop’, uma colaboração com Jay-Z e DJ Military. “Sou completamente esquizofrênico, e adoro isso”, explica o cantor/compositor de 47 anos, que vive em Miami mas também passa tempos nas Bahamas – onde gravou parte do disco. "Tentei fazer um álbum que tivesse um tipo de som do começo ao fim, e não consigo. Quando vou para a esquerda, quero ir para a direita. Quando vou para cima, quero ir para baixo’'. “Tenho tantos estilos musicais dentro de mim”, afirma ele. ``Enquanto crescia, escutei a todos os tipos de música e isso está em mim, e é como sou. Então o álbum sempre sai dessa forma, atirando para todos os lados’'.

terça-feira, 6 de setembro de 2011


A Antena 1 Rio de Janeiro foi uma estação de rádio brasileira da cidade do Rio de Janeiro. Operava nos 103,7 MHz em FM e foi afiliada à Rede Antena 1. Foi criada no início da década de 1980 como uma rádio voltada ao público jovem tocando música pop. Aos poucos foi tornando uma rádio voltada ao flashback e a músicas do estilo adulto contemporâneo e mais tarde, em 1989, adotou o formato Lite FM que a consolidou como a rádio mais estável do dial carioca. Sua programação musical tinha uma qualidade superior a de suas concorrentes, com o melhor da música nacional e internacional. Sem nenhum prévio aviso, a direção da rádio arrendou sua frequência ao Grupo Diários Associados, passando a transmitir em 1º de junho de 2009 a programação da Nativa FM, que antes operava na frequência 96,5. Possuía uma programação diferenciada do restante da rede com informes noticiosos durante a programação e prestação de serviços (Como trânsito e economia). Uma de suas características era ter apenas mulheres no elenco de radialistas. Encerrou as atividades às 0h do dia 1° de Junho de 2009 dando lugar à Nativa FM. . A partir de então, a Antena 1 Rio deixou de existir e a equipe foi desfeita. Mas ainda mantém suas músicas e vinhetas no ar, 24 horas on-line, em seu site na internet.

terça-feira, 30 de agosto de 2011


JOVEM GUARDA ESPECIAL


Os Caçulas foram um dos mais importantes grupos vocais dos anos sessenta. Inspirados na formação, no visual e, em parte, no repertório dos americanos Mamas & Papas, Vera Lúcia, Alvinho, Yara e Gilberto (depois Mário Marcos) gravaram dois discos e alguns compactos, contendo hits que ficaram gravados na memória popular. "A Chuva que Cai" - versão para clássico do italiano The Rokes - é um deles, tão marcante e inesquecível, quanto os mais famosos sucessos da jovem guarda. Em sua curta carreira, inciada em 1967, Os Caçulas foram além dos limites sonoros do "iê-iê-iê", flertando com a soft psicodelia, especialmente no seu segundo álbum. "A Moça do Karmann Ghia Vermelho" (da dupla Tom Gomes/Luiz Vagner, também autores de "Sílvia, 20 Horas Domingo", de Ronnie Von) é um clássico do som psicodélico nacional e merece estar presente em qualquer coletânea do gênero.

Os Caçulas inserem-se na tradição dos melhores grupos vocais do rock nacional, como Os Cometas e Trio Esperança, mas acrescentaram influências de formações clássicas da MPB, como Quarteto em Cy e MPB4. Além dos vocais requintados, o instrumental do grupo também prima pela qualidade, resultado dos arranjos de Ramalho Neto, Chiquinho de Moraes e Portinho.

quinta-feira, 18 de agosto de 2011


Combo Rangers é uma série de Webmanga criado em 1998 pelo autor japonês-brasileiro Fábio Yabu. É claramente baseado em séries de Super Sentai (tendo começado por ser uma paródia, em seguida, desenvolver mais histórias sérias embora sem perder a veia cômica) com cinco rangers principais (vermelho, azul, verde, rosa e amarelo) um extra e um branco. Além disso eles são liderados pelo Poderoso Combo a quem o Rangers chamam Tio Combo e luta contra várias formas de mal. Eles são auto-nomeado "os que lutam em nome do amor e da justiça". Combo Rangers ganhou o Prêmio HQ Mix três vezes. A história se passa em uma cidade fictícia chamada Cidade City (aliás, city é cidade em inglês). A cidade está localizada em um universo fictício chamado "Yabuverso" (baseado no sobrenome do criador). Inicialmente o Poderoso Combo foi o responsável por salvar a cidade e o mundo de todo o tipo de mal, mas seus poderes foram prejudicar sua saúde então ele foi forçado a se aposentar. Por isso ele recrutou cinco filhos (todos eles eram cerca de nove anos de idade) para a batalha contra o General Monte que estava vindo do espaço. Conforme o tempo passa no mundo real o mesmo acontece com o tempo na história o que significa que todos os personagens cresceram. Na última temporada eles foram apresentados como adolescentes. Também além de ser super-heróis eles também têm de lidar com a casa, escola e família, enquanto tenta manter sua vida super-heróis em segredo. Eles não são só os super-heróis embora: eles são membros da ASH, a Associação de Super-Heróis que é o lar de vários outros super-heróis.
A série foi destaque na internet até 2003 quando foi cancelado. Também foi impresso como gibis em 2000 impressos, primeiro pela JBC[6], depois pela Panini. Em 2003 a produção de internet foi interrompida, mas após isso a editora Panini ainda lançou os gibis até 2004[7]. Em 2004 Yabu decidiu parar de escrever os quadrinhos para se concentrar apenas no seu livro "Princesas do Mar" (que em breve se tornaria um desenho animado). O livro foi um sucesso e portanto Yabu lançou duas continuações. Depois de algum tempo fora do ar, o site voltou a reprisar os capítulos das duas primeiras temporadas, e foi abandonado em 2005. Desde a última edição do gibi Yabu não disse nada sobre continuar a escrever a série Combo Rangers.

Os personagens da história: Fox (Combo Ranger vermelho)
O destemido líder da equipe,que é namorado de tati por quem ele gosta. Às vezes pode ser meio burrinho, mas sua coragem e espírito de liderança são inquestionáveis, e podem levá-lo a ser o sucessor do Tio Combo no futuro. Não gosta muito de estudar, principalmente geografia. O tempo passa e os desafios aumentam. Fox continua no comando da equipe, porém suas atitudes imaturas acabam abalando seu respeito perante aos outros. Com a intenção de tornar o garoto um grande herói, Tio Combo decide testar as habilidades de Fox. Apesar de todas as confusões com seu novo treinamento, o Combo Ranger Vermelho é escolhido para ser o portador de um novo poder incrível. A Estrela Defensora, um objeto sagrado que veio pra Terra há centenas de anos, promove Fox para seu novo portador. Novas forças e novas responsabilidades são assumidas mas, mesmo com todos os riscos, o herói aceita seu destino.

Tati (Combo Ranger Rosa)
Uma menina alegre e descontraída, ela é a namorada do Fox, por quem é capaz de fazer qualquer coisa. Apesar disso, Tati é muito ciumenta e não deixa que nenhuma menina chegue perto dele. Sai da equipe para viver uma vida normal.

Sara (Combo Ranger Rosa)
Sara era originalmente uma aliada temporária dos Combo Rangers, mas sua importância à série começou a aumentar significativamente: Foi escolhida primeiramente ser a substituta de Tati, em seguinte é escolhida para ser a Garota Arco-Íris sucessora de Camila, mas depois Sara e Gaia conversam entrando num acordo e dando parte dos poderes de Garota Arco-Íris para Sara (que fica apenas com vôo e habilidade de mudar de roupa) e Camila (que fica com o resto dos poderes e o título de Garota Arco-Íris de volta). Ela não possui poderes como os outros Combo Rangers, mas tem a habilidade única de adquirir o poder que quiser por 15 minutos, passado esse tempo ela precisa esperar mais 15 minutos para que seu poder "recarregue".

Ken (Combo Ranger Azul)
É o membro mais inteligente da equipe. Às vezes pode ser meio mal humorado, principalmente com as gafes de Fox, mas é um amigo leal e tem um coração de ouro. Teve uma paixão secreta por Tati, mas hoje, se vê num bom relacionamento com Fabi.

Kiko (Combo Ranger Verde)
O membro mais divertido da equipe, adora fazer piadas e é o único que não está interessado em namorar. Kiko quer mais é se divertir e aproveitar sua liberdade. Apesar de não ser tão desleixado quanto Fox, às vezes dá umas "escorregadas" na escola. Gosta de ouvir rap, funk e reggae.

Lisa (Combo Ranger Amarela
Uma menina muito estudiosa, filha de uma família humilde que precisa estudar muito para poder manter a bolsa de estudos na escola. Completamente apaixonada por Luke, tira de seu grande amor a força para lutar. Às vezes pode ser um pouco chorona e dramática.

Luke (Combo Ranger Branco)
O sexto Combo Ranger tem um futuro de muitas lutas e um passado de muitos mistérios. Ele é apaixonado por Lisa, com quem começou a namorar depois de muitos desencontros.
Um dos grandes mistérios acerca de Luke era o seu poder de cura e telepatia, que podiam ser usados mesmo quando ele não está transformado. Esse mistério ficou em aberto, porem foi revelado em Combo Rangers Angels a nova série que na verdade Luke e um anjo!

Maya (Combo Ranger Honorária)
Maya se vale apenas de suas habilidades atléticas, artes marciais e conhecimentos em informática para enfrentar seus inimigos. Mesmo sem poderes, ela teve participação muito importante em Combo Rangers Zero.
Maya constrói uma grande amizade com Fox ao longo da série, o que implica uma má relação com Tati devido ao forte ciúme e temperamento da Combo Ranger Rosa.
Mais tarde na série Maya se vale de um bastão de alta tecnologia, o bastão de gravidade, criado por seu Pai, o Doutor Cooper, um grande cientista que foi um dos vilões na fase Zero, mas, graças ao amor da filha e sua assistente Fabi, acaba voltando a trilhar o caminho do bem e se torna um grande aliado da equipe.
O bastão de Maya vai de 10 a 10.000 kilos, dependendo da vontade da menina. Nas mãos dela, o peso do bastão é sempre o mesmo.

Poderoso Combo (Criador e mentor dos Combo Rangers)
Conhecido por ser o criador dos Combo Rangers, o Poderoso Combo possuía poderes quase ilimitados como super-força, invulnerabilidade, super-velocidade, capacidade de voar, de se transformar em pedra, de ficar invisível, em chamas, elasticidade, percepção extra-sensorial, além de conhecimentos profundos em técnicas de combate avançadas. Ao combinar seus múltiplos poderes, ele gera o Turbilhão da Combo Energia, capaz de destruir um planeta do tamanho da Terra em poucos segundos. Além de todos esses poderes, aparentemente o Poderoso Combo não envelhece como os seres humanos (uma "consequência" de seu poder).

quarta-feira, 10 de agosto de 2011


******VELHAS BOAS MUSICAL******
Esta semana: Vem pra Perto de mim - Destino Ignorado


Perdido no mundo
Nunca sei onde estou
Procuro te encontrar
Mas não sei aonde vou

Penso sempre em você
Lembro nossos momentos
Momentos inexistentes
O que muito lamento

Não, não vá embora
Quero você, perto de mim
Vem, vem, vem pra perto de mim

Escolho as palavras
Que vou lhe dizer
Você nunca me escuta
Assim não vai saber

À noite na cama
Você vem e me enrola
Mas quando chega o dia você vai embora

segunda-feira, 1 de agosto de 2011


Nos anos 80, o rock e suas bandas tiveram e ainda tem espaço nas TVS e nas rádios. E já nos anos 90, não foi diferente, uma banda de rock que arrasta multidões de todo o Brasil com sua música cheia de força, estilo e também, sofisticação de vários ritmos. Destino Ignorado é um grupo formado nos anos 90, procura imprimir nos seus trabalhos as sua infuencias de Blues, Hard Rock e Rock and Roll, seus integrantes são Gerson Monteiro (Baixo), Tuca Marques (Guitarra) Xande McLeite (Voz) e Rogério França (Bateria).
Se o Rock and Roll tem uma cara no Rio de Janeiro, essa cara tem nome: Destino Ignorado. Com influências setentista, porém, com um som próprio e atualizado. A banda está com um novo show onde além de suas músicas, clássicos de Peter Frampton, Cream, Whitesnake, Deep Purple, entre outros são executados.

quinta-feira, 7 de julho de 2011


******VELHAS BOAS MUSICAL******
Esta semana: C'est dur dur d'être Bébé - Jordy

C'est dur dur d'être bébé
Oh là là bébé, c'est dur dur d'être bébé
Dur dur d'être bébé
Je m'appelle Jordy
C'est dur dur d'être bébé
Oh là là bébé, c'est dur dur d'être bébé
Dur dur d'être bébé.
Je m'appelle Jordy
J'ai quatre ans et je suis petit
Dur dur d'être bébé

Viens ici, touche pas ça
Reste assis, va pas là
Fais comme ci, fais comme ça
Patati et patata
Pourquoi ci pourquoi ça
Pourquoi c'est comme ci
Pourquoi ci pourquoi ça
Pourquoi c'est comme ça.
Oh là là bébé, c'est dur dur d'être bébé
Dur dur d'être bébé.

Et Maman, qu'est-ce que tu dis
Fais dodo, lave tes mains
Enlève tes doigts du nez
Fais pas ci, fais pas ça
Patati et patata
Pourquoi ci pourquoi ça
Pourquoi c'est comme ci
Pourquoi ci pourquoi ça
Pourquoi c'est comme ça.
Oh là là bébé, c'est dur dur d'être bébé
Dur dur d'être bébé.

Reste assis, pas d'accord !
Touche pas ça, pas d'accord !
Va pas là, pas d'accord !
T'auras pas de dessert
Et Mamie, et Papi, et Maman
Dur dur d'être bébé
Oh là là bébé
C'est dur d'être bébé
Dur dur d'être bébé

CONFIRA A TRDUÇÃO

É duro, duro ser bebê
Oh lá lá bebê, duro, é duro ser bebê
É duro, duro ser bebê
Me chamo Jordy
Tenho quatro anos e sou pequeno
É duro, duro ser bebê
Venha aqui, não toque nisso
Sente aí, não vá lá
Faça assim, faça assado
Patati e patata
Porque isso, porque aquilo
Porque é isso
Porque isso porque aquilo
Porque é assim.
Oh lá lá bebê, é duro ser bebé
É duro é ser bebê.
E Mamãe, o que diz
Vá dormir, lave as mãos
Tire o dedo do nariz
Faça isso, faça aquilo
Patati e patata
Porque isso, porque aquilo
Porque é isso
Porque isso porque aquilo
Porque é assim.
Oh lá lá bebê, é duro, duro ser bebé
É duro, duro ser bebé.
Sente aí, não concordo!
Não toque nisso, não concordo!
Não vai lá, não concordo!
Não terá sobremesa
E Mamãe, e Papai, e Mamãe
Duro duro é ser bebê
Oh lá lá bebê
É duro ser bebê
É duro, duro é ser bebê

segunda-feira, 4 de julho de 2011


Ele começou bem pequenininho, e eu ouvia (e até hoje ouço ele) muito esse garotinho que, hoje em dia, está um garotão. Jordy Lemoine é listado no Livro Guinness dos Recordes como o cantor mais jovem a ter um single em primeiro lugar de vendas. Alcançou esse feito aos quatro anos e meio, em 1992, com a música "Dur dur d'être bébé", que vendeu dois milhões de cópias na França e foi sucesso também na Europa, Brasil (no ano de 1993) e Japão. Nos EUA alcançou o 58° lugar.
Em 1994, no entanto, o governo francês baniu o artista, então com seis anos, da televisão e do rádio, sob a alegação de que estaria sendo explorado pelos pais. Rumores de exploração pioraram quando a família Lemoine abriu La Ferme de Jordy ("A Fazenda de Jordy"), uma atração turística para crianças que se tornou um fracasso comercial. Em 1996 seus pais se divorciaram, Jordy voltou à escola e foi emancipado.
Já na adolescência, Jordy pareceu se interessar em voltar ao estrelato. Apareceu na segunda temporada do programa de televisão francês La Ferme Célébrités 2 em 30 de abril de 2005, sua primeira aparição pública em quase dez anos. Foi o vencedor do show em 28 de junho de 2005. Em 18 de fevereiro de 2006 lançou seu primeiro single em 12 anos, "Je t'apprendrai". No lançamento do álbum "Vingt'Age" (uma brincadeira com Vintage - denominação para uma moda retrógrada - e Vingt - vinte -, a idade de Jordy em 2008) houve até um programa de televisão na cadeia regional 5050tv. Em 23 de março desse ano lançou a sua autobiografia, Je ne suis plus un bébé ("Não sou mais um bebê"). Em abril de 2009, a justiça francesa determinou que a gravadora da infância de Jordy, a Sony/BMG, pagasse ao artista 820 mil euros pelos direitos de suas músicas da época de petiz. O que Jordy diz em sua autobiografia é que ele não recebeu quase nada do dinheiro que ele teria rendido à Sony.

segunda-feira, 27 de junho de 2011

VELHAS BOAS ATUALIDADES


Na falta de criatividade em Hollywood, o jeito é apelar para um remake. Footloose, filme link externo oitentista de grande sucesso estrelado por Kevin Bacon, ganhará uma nova versão em 2011 e já divulga seu primeiro trailer. O filme terá um casal de protagonistas desconhecidos do grande público: Kenny Wormald participou de alguns filmes link externo de segunda linha e musicais e Julianne Hough atuou no filme Burlesque. Ainda no elenco temos Dennis Quaid e Miles Teller, o que evidentemente não ajudará a trazer público para a sala de cinema. Mas nada que uma trilha sonora com os sucessos do momento não resolva.
Footloose tem direção de Craig Brewer com roteiro de Jon Hartmere e tem estréia prevista para o fim 2011. Confira o trailer logo abaixo:
O filme terá um casal de protagonistas desconhecidos do grande público: Kenny Wormald participou de alguns filmes link externo de segunda linha e musicais e Julianne Hough atuou no filme Burlesque. Ainda no elenco temos Dennis Quaid e Miles Teller, o que evidentemente não ajudará a trazer público para a sala de cinema. Mas nada que uma trilha sonora com os sucessos do momento não resolva.

Footloose tem direção de Craig Brewer com roteiro de Jon Hartmere e tem estréia prevista para o fim 2011. Confira o trailer logo abaixo:

sexta-feira, 17 de junho de 2011

Programas e novelas inesquecíveis


Top TV é um extinto programa de televisão brasileira, exibido na Rede Record. Na primeira versão, de 1991, o programa era uma espécie de revista eletrônica pop, falando dos lançamentos de filmes e séries televisivas e relembrando outras que há muito não passavam na televisão brasileira, como os animês japoneses das décadas de 1960 e 1970. Produzido pela recém comprada TV Rio, o programa foi exibido nas tardes de domingo até meados de 1994.
Da equipe participavam os redatores Pedro Peixoto e Richard Kyaw, contratados em seguida pela Rede Globo, para a equipe do Video Show. Em 2000 a Record reaproveitou o nome e criou este game-show, inicialmente exibido nas noites de segunda-feira e apresentado pelo ator Dalton Vigh. Tendo como pano de fundo a comemoração dos 50 anos da televisão brasileira, estudantes de comunicação se enfrentavam numa gincana com várias provas relativas a programas de todas as emissoras, não só da Record.
Durante o ano, houve mudanças de formato, como a substituição dos estudantes por artistas. Em setembro, Top TV muda de horário (passa para as tardes de domingo) e de apresentador (agora, Ricardo Corte Real). Sai do ar no início de 2001.

sábado, 4 de junho de 2011

ESTAÇÃO CINEMA - Karatê Kid (1984 e 2010)




PRIMEIRA VERSÃO: O jovem Daniel Larusso (Ralph Macchio) e sua mãe (Randee Heller) recentemente se mudaram de Newark, Nova Jersey para a região do Vale de São Fernando no sul da Califórnia. Porém, Daniel não consegue se ambientar em sua nova morada, até que conhece Ali Mills (Elisabeth Shue), uma garota atraente que gosta dele.
Porém, a situação de Daniel se complica quando o ex-namorado de Ali, Johnny Lawrence (William Zabka), e sua gangue começam a atormentá-lo. Um dia, quando é cercado pela gangue de Johnny, ele é salvo por um Senhor Miyagi, (Pat Morita) mestre na arte de karate. Disposto a ajudar Daniel, Miyagi resolve passar-lhe os ensinamentos de karate, para que ele possa se defender da gangue de Johnny, que também, luta karate. Então ele enfrenta a gangue em uma competção de luta. Duração do filme: 127 minutos, música tema: Glory of Love, de Peter Cetera.

SEGUNDA VERSÃO: Dre Parker (Jaden Smith) é um garoto de 12 anos que poderia ser o mais popular da cidade de Detroit, Estados Unidos, mas a carreira de sua mãe acaba os levando para a cidade de Pequim, na China. No novo país, Dre se apaixona pela sua colega de classe Mei Yin, mas as diferenças culturais tornam essa amizade impossível. Pior ainda, os sentimentos de Dre fazem com que o aluno mais brigão da sala e prodígio do Kung Fu, Cheng, torne-se seu inimigo. Sem amigos na nova cidade, Dre não tem a quem recorrer exceto ao zelador do seu prédio Mr. Han (Jackie Chan), que é secretamente um mestre do Kung Fu.
À medida que Han ensina Dre que o Kung Fu é muito mais que socos e habilidade, mas sim maturidade e calma, Dre percebe que encarar os brigões da turma será a aventura de uma vida. Duração do filme: 140 minutos, música tema: Never say Never, de Justin Bieber e Jaden Smith (filho do ator e rapper Will Smith).
(FONTE: http://pt.wikipedia.org/wiki/The_Karate_Kid / http://pt.wikipedia.org/wiki/The_Karate_Kid_2010)

segunda-feira, 23 de maio de 2011


******VELHAS BOAS MUSICAL******
Esta semana: Perdoa - Rian Bertinni


Estou sozinho
Olhando o horizonte eu vejo
As nuvens formando o teu rosto
Eu sinto o gosto do seu beijo

Estou sozinho
Procuro loucamente encontrar
Algo que eu possa fazer
Pra não mais pensar em você

Mas eu sei que tudo isso é pura ilusão
Você entrou com tudo no meu coração
É duro conviver com essa paixão

Amor perdoa errei com contigo
Mas foi sem querer
Por favor me de uma chance quero te dizer
Que estou arrependido eu amor você


Amor, não deixa eu morrer de paixão
És dona do meu coração
Te adoro, te quero, te amo

Amor não quero viver sem razão
Perdoa o meu coração
Não deixe morrer nosso sonhos

Te amo

Estou sozinho
Olhando o horizonte eu vejo
As nuvens formando o teu corpo
Meu peito explode de desejo

segunda-feira, 9 de maio de 2011


Nascido na cidade de Niterói no Rio de Janeiro, logo cedo começou a interessar-se pela musica aprendendo a tocar violão com apenas com 10 anos de idade e aos 17 montou sua primeira banda aproveitando o forte cenário musical dos anos 80, assim começava a trajetória de Rian Bertinni.
No inicio dos anos 90 participou de várias bandas, tocou em festivais de música e apresentou-se em diversas casas noturnas e clubes do estado do Rio e outros estados tais como; Minas Gerais, Espírito Santos e São Paulo.
Mas foi em 2010 que Rian Bertinni foi descoberto por um produtor artístico que o convidára para fazer parte de um projeto “Sertanejo Universitário”.
Depois de fazer couvers de vários artistas nacionais e internacionais, aceitou o convite e decidiu cantar letras de sua própria autoria e passou a compor seus próprios arranjos musicais tais como o “hit” “Vida” que esta sendo executado em diversas rádios do nordeste Brasil e a canção “Perdoa” de um cd que reúne lindas canções mostrando todo romantismo do artista.

segunda-feira, 2 de maio de 2011


VELHAS BOAS ATUALIDADES


O comediante Chico Anysio, 79 anos, teve alta nesta segunda-feira (21) após 110 dias internado no Hospital Samaritano, em Botafogo, Zona Sul do Rio de Janeiro. A informação foi confirmada ao G1 pela assessoria de imprensa do hospital. Boletim assinado pelo cardiologista Luiz Alfredo Lamy afirma que "o estado de saúde do paciente é estável e o tratamento com fonoaudióloga terá continuidade em casa".
Malga Di Paula, mulher do humorista, escreveu em seu perfil no Twitter, por volta das 14h, que Chico Anysio havia deixado o hospital em uma ambulância: "ATENÇÃO - Sinere Ligada. Estou na ambulância levando o meu amor pra casa. Como eu previa! Salve Jorge! Malga Di Paula (com lágrimas nos olhos)". Na semana passada, os médicos já haviam retirado a cânula da traqueostomia que o humorista vinha usando para respirar, dispensando o suporte mecânico de ventilação. Durante o período de recuperação, Chico Anysio passou por tratamento de fonoterapia para recuperar a fala e vinha ingerindo alimentos pastosos. Segundo relatos dos médicos e sua mulher, ele chegava a fazer brincadeiras e se comunicava com familiares e funcionários do hospital através de mímica. O humorista deu entrada no Samaritano em 2 de dezembro, com falta de ar. Após avaliação inicial, foi detectada obstrução da artéria coronariana, e o paciente foi submetido a uma angioplastia, procedimento para desobstrução de artérias.
Durante o período pós-operatório, Chico apresentou novo quadro de falta de ar, quando foi diagnosticado um tamponamento cardíaco, que acontece quando o sangue se acumula entre as membranas que envolvem o coração (pericárdio). O humorista teve pneumonia por duas vezes durante o período em que ficou internado, mas foi tratado com sucesso.

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Jingles marcantes

Direto dos anos 60, duas gotinhas simpáticas (que eram os mascotes da Esso) tocando Bossa Nova e dançando samba. Mais um jingle clássico em desenho animado.

sexta-feira, 15 de abril de 2011


******VELHAS BOAS MUSICAL******
Esta semana: Angel - Jon Secada


I, I can't read the future
But I still wanna hold you close
Right now, I need that from you
So give me the morning
Sharing another day with you
Is all I want to know

And baby I, I've tried to forget you
But the light of your eyes
Still shines, you shine like an angel
A spirit that won't let me go

And I, I didn't wanna tell you
Things I didn't wanna know myself
I was afraid to show
But you, you gave me a reason
A reason to face the truth, oh yes you did
To face the truth, face the truth
Face the truth

And baby I, I've tried to forget you
But the light of your eyes
Still shines, you shine like an angel
A spirit that won't let me go
Won't let me go, let go of my heart


CONFIRA A TRADUÇÃO

Eu, eu não posso ler o futuro,
Mas ainda quero te ter por perto
Agora mesmo, eu preciso de você...
Então dê-me a manhã,
Compartilhando outro dia com você
É tudo que eu quero saber...

E eu, eu tentei esquecer você,
Mas a luz dos seus olhos ainda brilha
Você brilha como um anjo,
Um espírito que não me deixará partir...

Eu, eu não queria te dizer
Coisas que eu mesmo não queria saber.
Eu tinha medo de mostrar,
Mas você, você me deu um motivo,
Um motivo para encarar a verdade (sim, você me deu)
Para encarar a verdade, encarar a verdade,
encarar a verdade..

E eu, eu tentei esquecer você,
Mas a luz dos seus olhos
Ainda brilha, você brilha como um anjo,
Um espírito que não me deixará partir...
Não me deixe partir, Não desista do meu coração...

quarta-feira, 13 de abril de 2011


Dono de vários sucessos internacionais, Juan Francisco Secada Martinez (mais conhecido como Jon Secada),é um cantor e compositor cubano radicado nos EUA.
Quando tinha nove anos, sua família pediu para deixar Cuba legalmente. Quando saiu, em 1971, a família deixou o país rumo a Miami. Lá abriram uma cafeteria. Foi na época do ginásio que seu talento para música começou a aparecer. Jon foi levado para a Universidade de Miami, onde começou a fazer os vocais para as apresentações de jazz. Nessa época, Emilio Estefan, que já conhecia o trabalho de Jon, o convidou para ser backing vocal de sua mulher, a cantora Gloria Estefan.

Em 1992 conseguiu lançar-se em carreira solo e gravar o primeiro álbum, Jon Secada . Ele se tornou um dos maiores artistas contemporâneos da década de 90, vendendo mais de seis milhões de cópias em todo mundo. Os grandes hits foram Just Another Day, Angel e Do You Believe in Us. Sua versão espanhola para o disco Otro Dia Mas Sin Verti, se tornou o primeiro na parada da Billboard para o mercado latino e também ganhou um Grammy como melhor álbum pop latino. Seu segundo trabalho em inglês Heart, Soul, and a Voice não repetiu o sucesso do primeiro, mas vendeu mais de um milhão de cópias. O destaque foi a canção Mental Picture. Novamente ele lança uma versão em espanhol: Si Te Vas. No ano seguinte chega às lojas Amor, deixando de lado o mercado americano e europeu. Novamente ele ganha um Grammy. Dois anos depois é produzido Secada, um verdadeiro fracasso comercial. Com isso, Jon assina com a Sony Music’s Epic Records. Entre suas obrigações contratuais está compor músicas para os astros Jennifer Lopez e Ricky Martin. Em 2000, saiu seu primeiro disco pela gravadora nova, Better Part of Me, seguido de The Gift – The Christmas Albun, e Amanecer. Em 2005, já como artista independente, gravou pela pequena Big3 Studios Miami, Florida o álbum Same Dream que conseguiu expressivas posições em chats americanos com as faixas Window to my heart, Tender love e Free. Ele ainda regravou hits compostos por ele, mas que fizeram sucesso com outros artistas como Coming out of the dark e She's all I ever head. Atualmente Jon Secada se prepara para a 4ª Temporada de Latin American Idol, programa do qual participa como jurado, além dos lançamentos dos álbuns Expressions com regravações de grandes clássicos mundiais em versão Jazz e o DVD ao vivo gravado no Brasil Jon Secada - Stage Rio.

segunda-feira, 11 de abril de 2011

EU VI E GOSTEI - Vídeos atuais

Bom, na verdade não gostei, adorei ver este vídeo super lindo. Um novo astro da núsica pop romântica, seu hit já é esta sendo muito tocada no Rio de Janeiro e também vai fazer e vai ser também sucesso em todo o Brasil. Rian Bertinni canta o sucesso Vida, uma verdadeira declaração de amor em forma de música.

terça-feira, 5 de abril de 2011

Programas e novelas inesquecíveis


Hugo, o Troll, ou simplesmente Hugo, é um personagem criado pelo estúdio dinamarquês Interactive Television Entertainment (ITE) em 1990, para um programa de televisão interativa para crianças. O sucesso do programa, exibido em mais de 40 países, levou ao desenvolvimento de diversos jogos de video game e computador, além de álbuns de figurinhas, revistas em quadrinhos, entre outros produtos.
Existem aproximadamente 30 jogos lançados sobre o Hugo para diversas plataformas. Dentre esses jogos, destaque para Hugo 3D, Hugo: Bukkazoom!, Hugo: Cannoncruise, Hugo Runnamukka e Agent Hugo.
No Brasil, o programa foi exibido pela CNT/Gazeta e chamava-se Hugo Game. Adaptado pela produtora Herbert Richers, foi exibido em território brasileiro entre 1995 e 1998.
Atualmente a franquia Hugo é a única administrada pela ITE.

segunda-feira, 4 de abril de 2011


******VELHAS BOAS MUSICAL******
Esta semana: Vídeo Game - Azul 29


Um jogo, sem regras
De amor e desamor
De intrigas, de entregas
Sem ter um vencedor

Yo ho video game
Yo ho video game (repete 2x)


Um jogo de busca
Nem sempre indolor
Envolve, assusta
O seu jogador (repete 2° verso 4x)

Ainda vou te programar
Num video game terminal
Tua imagem congelar
Em um sistema digital

Video game
Digital
Video game

Que jogo louco
O fim por um triz
Explode na tela
Teu corpo nu afins

Você diz sim
Eu quero sim
E ao mesmo tempo
Foge de mim

sexta-feira, 1 de abril de 2011


Azul 29 surgiu de um encontro musical entre Thomas Bielefeld e Eduardo Amarante (membro também da banda Agentss em abril de 1982. Ambos faziam parte do pequeno círculo de pessoas que tinham como característica a busca constante de informação e a procura de novas ideias que traduzissem o panorama musical da nossa época.
Mesclando voz, bateria eletrônica, casiotone, guitarra, efeitos eletrônicos e uma forte identificação musical, Thomas (ex-gerente da pioneira e tumultuada casa de rock Be-Bop-a-lula) e Eduardo, um colecionador de currículos inacabados (Engenharia, Arquitetura, Aviação, Metereologia etc) resolveram se unir com o objetivo de desenvolver um trabalho musicalmente representativo dos anos 80.
Em março de 1983, com um trabalho desenvolvido e com boa parte do repertório
delineado (Azul 29) então estruturando apresentações ao vivo, sentiu a necessidade de acrescentar dois componentes ao grupo, o que resultou na vinda do baixista (e fotógrafo da moda) Thomas Susemhil (outro membro dos Agentss) e de Malcolm John Oakley, baterista. Com essa formação, Azul 29 reforçou seus alicerces, conjulgando influências e raízes europeias, baseadas principalmente nas tendências da nova música inglesa e alemã. O resultado foi um som universal, não regionalizado.
Em 1983 foi lançado o primeiro compacto pela WEA, porém, o que ganhou força foram as apresentações ao vivo que o grupo começou a fazer em agosto do mesmo ano. A repercussão alcançada atrvés deste trabalho e o reconhecimento nos meios musicais propiciaram a gravação de um novo compacto pela WEA em fevereiro de 1984, com tendência ainda mais eletrônica.

sábado, 19 de março de 2011


******VELHAS BOAS MUSICAL******
Esta semana: Meu fogo vai Queimar Você - Superbacana


Vem menina vem me ver tocar
Vem me ouvir, vem dançar
Quando o meu som começar
O meu fogo vai queimar você
E o meu fogo vai queimar você

Eu só quero dar o meu calor
Pelo seu corpo e amor
Sei que você vai gostar
E o meu fogo vai queimar você
E o meu fogo vai queimar você

Sei que um dia você vai subir
E no palco vai dançar
E mexendo com seu corpo quente
O meu coração vai inflamar
E o meu fogo vai queimar você
E o meu fogo vai queimar você

quarta-feira, 16 de março de 2011


A banda Superbacana foi fundada no Rio de Janeiro no inicio dos anos 70 por uma turma de músicos que tinha por finalidade animar os bailes nos clubes da cidade, diga-se de passagem, nesta época os “bailes de clube” eram o que havia de mais animado em termos de entretenimento, tendo bandas como The Fevers, Renato e Seus Blue Caps, Lafayette e Seu Conjunto, Painel de Controle, etc... como as primeiras no ranking das que mais lotavam os ginásios e clubes do Rio e arredores.
Já em 1973, e sem ainda ter gravado nenhum disco, o Superbacana disputava de igual para igual com as bandas com maiores bilheterias dos bailes de sábado à noite: em média de 4 a 6 mil pessoas cantando e dançando os maiores sucessos nacionais e internacionais que as rádios de maior audiência tocavam nas suas “Hit-Parade” .
Um detalhe importante e impressionante que vale destacar é que, como a tecnologia para equipamentos de som usado nos shows ainda era “o som que eu produzo aqui no palco é o mesmo que a última pessoa lá do fundo vai ter que ouvir”, o Superbacana se apresentava com uma verdadeira “parede” de amplificadores super-potentes para seus instrumentos, o que foi motivo inclusive de reportagem em algumas revistas e jornais especializados da época, destaque para uma foto na folha central da revista AMIGA que fazia a cobertura de um show do Ginásio Caio Martins em Niterói, mostrando o equipamento do Superbacana ocupando a quadra quase que completamente.
Enfim, em 1977, veio o 1º disco gravado pela extinta Polydor e onde hoje funciona a Universal Music, que deu início às turnês pelo Brasil e à parte mais intensa da vida do Superbacana, pois a partir daí, a banda além de gravar seus próprios discos, fez também participações em discos de outros artistas, como Zizi Possi, Vital Farias, Peninha, Gérson “King” Combo, e vários outros.
Além das infindáveis aparições nos programas de TV para apresentar seus discos (Chacrinha, Bolinha, Silvio Santos,...), o Superbacana foi muitas vezes convidado pela Rede Globo para participar do programa GLOBO DE OURO para defender os sucessos internacionais da época, gravando ao vivo músicas como: If You Leave Me Now (do Chicago), Isn’t She Lovely (do Steve Wonder), California (do Pilot), etc...
...e muita história pra contar...
Ao longo de todos esses anos até 1988, quando o Superbacana deu uma parada, a banda teve entre seus integrantes vários músicos que posteriormente fundaram suas próprias bandas, ou passaram a acompanhar artistas famosos, como por exemplo: O guitarrista Toninho da Cruz, que além de ter seu próprio estúdio faz várias participações importantes em shows de outros artistas, o tecladista Marcos Augusto, que participou da banda do Tim Maia, Joana e hoje tem sua própria banda, Serginho Herval, que gravou discos solo e hoje é o baterista do premiadíssimo Roupa Nova, o tecladista Tutuca Borba, que além de maestro e arranjador é um dos músicos da orquestra de Roberto Carlos, e outros tantos que seguiram suas vidas procurando seus caminhos.
De toda essa história sobraram o Tianes (tecladista e guitarrista) e o Guto (baterista) que, desde a formação inicial continuaram trabalhando juntos em vários outros projetos e outras bandas, quase nunca com trabalhos separados, pois além de uma grande afinidade musical, são amigos de infância, tendo o Tianes aprendido os primeiros acordes de violão com o Guto e a partir daí nunca mais se separaram.
Em 2005, os dois amigos se juntaram aos excelentes músicos Ronaldo Bakker (guitarrista) e Dirceu Seabra (baixista) e dessa reunião resultou a volta do Superbacana à estrada, com a proposta de resgatar para o público daquela época e para os novos amigos que os acompanham a alegria de ouvir novamente todos aqueles sucessos que tanto embalaram a nossa juventude.
É com esta formação onde todos são instrumentistas e cantores, e com o apoio competente de algumas das cantoras mais requisitadas para shows e gravações do Rio de Janeiro que o Superbacana convida toda a turma para deixar rolar o som e alegrar suas festas numa verdadeira volta ao melhor dos anos 70, 80 e 90, ou seja... Flasback pra valer!!!!!!!!!!!

segunda-feira, 14 de março de 2011


KIDS MANIA - PARA MATAR AS SAUDADES DOS PROGRAMAS, DESENHOS E SERIADOS INFANTIS


Show Maravilha foi um programa de televisão infantil do SBT, exibido durante as décadas de 80 e 90 inicialmente nas tardes da emissora, às 16h30, posteriormente passando para as 10h30, apresentado por Mara Maravilha. O programa estreou em 6 de abril de 1987, tendo o mesmo formato dos programas infantis com auditório, que na época faziam grande sucesso. A apresentadora Mara Maravilha comandava brincadeiras com o auditório, recebia convidados e atrações musicais, cantava suas próprias canções e apresentava suas coreografias e anunciava a exibição de videoclipes e desenhos animados. O diferencial do programa estava em ter uma apresentadora morena, com características tipicamente brasileiras e nordestinas, enquanto os outros programas infantis tinham apresentadoras loiras. Embora poucos saibam, Mara foi pioneira no comando de programas infantis com auditório. Ainda antes de Xuxa se transformar em febre das crianças, Mara já havia comandado o Clube do Mickey e outras atrações infantis na televisão local da Bahia. O Show Maravilha ficou no ar até 28 de fevereiro de 1994, quando a apresentadora resolveu deixar o SBT e partir para a carreira internacional, passando a comandar o Show Mara Maravilla na Argentina. Dois anos depois, ela voltaria a comandar programas infantis no Brasil, agora na Rede Record, onde apresentou o Mara Maravilha Show e o Mundo Maravilha. De tempos em tempos, o programa passava por reformulações, ganhando novo cenário e abertura, assim como novos quadros e desenhos. O horário de exibição também passou por várias mudanças, sendo a maior delas a que transferiu-o das tardes para as manhãs, passando a concorrer diretamente com o Xou da Xuxa.

quarta-feira, 9 de março de 2011


******VELHAS BOAS MUSICAL******
Esta semana: California Dreamin - Rosa Marya Colin


California Dreamin Rosa Marya Colin
All the leaves are brown
All the leaves are brown
On such a winter's day
California dreamin'
California dreamin'

All the leaves are brown
And the sky is grey
I've been for a walk
On a winter's day
I'd be safe and warm
If I was in L.A.
California dreamin'
On such a winter's day

Stepped into a church
I passed along the way
Then I got down on my knees
And I pretended to pray
You know the preacher likes the cold
He knows I'm gonna stay
California dreamin'
On such a winter's day

California dreamin'
On such a winter's day
California dreamin'


CONFIRA A TRADUÇÃO


Todas as folhas estão marrons
E o céu está cinza
Eu saí para um passeio
Num dia de inverno
Eu estaria segura e tranquila
Se eu estivesse em Los Angeles
Sonhando com a California
Num dia de inverno como esse
Eu resolvi parar e entrar numa igreja
Enquanto eu passava pelo caminho
Então eu me ajoelhei
E finji rezar
Você sabe que o padre gosta de um sermão
Ele sabe que eu vou ficar
Sonhando com a California
Num dia de inverno como esse

segunda-feira, 7 de março de 2011


Cantora mineira, Rosa Maria Batista de Souza, começou a carreira no Rio de Janeiro aos 18 anos, cantando bossa nova e jazz no Beco das Garrafas, depois de trabalhar como operária. Com o registro grave de sua voz, adaptou-se bem ao repertório jazzístico, e em 1965 gravou o primeiro disco pela Odeon. Depois disso fez shows por todo o Brasil, participou de programas de televisão e atuou na primeira montagem brasileira do musical "Hair". Também trabalhou no México, onde teve bastante êxito cantando em um hotel. A partir do início da década de 80 firmou-se como cantora de jazz, tocando ao lado da Tradicional Jazz Band. Com alguns discos gravados mas ainda pouco conhecida depois de mais de 20 anos de carreira, uma gravação despretensiosa para um comercial de televisão em 1988 alçou-a ao topo das paradas. Uma regravação "cool" de "California Dreamin'", do grupo The Mamas And The Papas, para uma loja de departamentos tornou-se o seu grande sucesso, nunca mais repetido. No fim dos anos 90 mudou o nome para Rosa Marya Colin. Dona de uma beleza explêndida, uma excelente representante da raça negra, Rosa Maria sempre foi vista como uma mulher muito bonita, mas reservada.

domingo, 6 de março de 2011


A Wizard é uma revista mensal informativa sobre o mercado das Histórias em Quadrinhos. É uma publicação americana da editora Wizard Press (hoje Wizard Entertainment Group), que se tornou uma das principais referências para quem trabalha no mercado. Em Janeiro de 2011, foi anunciado pela Wizard Entertainment Group que a revista seria cancelada. Outras revistas da empresa foram canceladas: Toyfare (dedicada a brinquedos estátuas), Anime Insider (dedicada a anime e mangá), Toy Wishes (também dedicada a brinquedos, só que de forma mais abrangente). Foi anunciado pela Wizard World, Inc. que a revista se tornaria um site de notícias. A Wizard foi publicada por 3 editoras no Brasil, a última editora foi a Panini Comics, a mesma editora que detém os direitos de publicação dos personagens da Marvel Comics e DC Comics no país.
Em 1996 a Editora Globo publicou a primeira versão da Wizard brasileira, que durou 15 edições. A segunda versão teve somente 1 edição e foi publicada pela editora Hangar 18. Na sua terceira versão pela Panini Comics lançada em Outubro de 2003, a publicação apresentou entrevistas com os principais artistas e roteiristas do mercado americano, previews de publicações e notícias sobre cinema e vídeo, além de histórias completas no seu conteúdo.
A partir da edição 30 (Março de 2006), a revista passou a ser impressa em papel pisa brite (um tipo de papel-jornal) lombada canoa (com grampos), ao invês da lombada quadrada. Após uma disputa judicial com o Wizard, curso de idiomas homônimo, a Wizard-Brasil foi proibida de usar o nome original da revista americana. O número 37 da revista foi publicada pela Panini com um novo nome Wizmania (embora tenham cogitado até no nome Wizzing Comics).
Na Panini, revista foi editada inicialmente por Sidney Gusman e depois por Levi Trindade. Sob o título de Wizmania foram lançadas em 2008 pela Panini 2 spin-offs Wizmania Preview e Wizmania Especial, ambas tiveram apenas uma edição. Em Março 2009 a revista foi cancelada.

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Jingles marcantes

Um comercial muito fofo que marcou na televisão nos anos 70, foi o Papel Primavera. Este era a primeira versão do jingle.

E já este, foi a segunda versão do mesmo, mas no ano de 1995, foi recriado pelo Mário Lúcio de Freitas.

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011


*******JOVEM GUARDA ESPECIAL*******

A cantora e atriz italiana Rita Pavone começou sua carreira como cantora em 1962 com o single La partita di pallone e, pouco tempo depois, torna-se um sucesso mundial, fazendo também exitosas turnês em países europeus e da América Latina:Argentina e Brasil. Lança outros vários singles em seguida, como Alla mia età, Come te non c’è nessuno, Cuore, Datemi un martello, Che m'importa del mondo, Viva la pappa, Il geghegè e Fortissimo, atingindo o topo das paradas.
Em 1968 Rita se casa na Suíça com seu empresário, produtor e descobridor, o cantor italiano Teddy Reno. Foi um escândalo na sociedade italiana porque Reno, cujo verdadeiro nome é Ferruccio Ricordi era casado com Livia Protti e não existia divórcio na Itália até 1970. Em 1971 Rita e Teddy se casam oficialmente na Itália.
Em 1969 sua carreira desacelera na Itália, participou do Festival de San Remo com Zucchero e, no ano seguinte, com Ahi ahi ragazzo! e em 1972 com Amici mai. Emplacou vários sucessos em outros países como Alemanha (Arrivederci Hans), Bonjour la France (França), Io che amo solo te (Brasil). Neste segundo período da sua carreira toma um caminho mais difícil e, conseqüentemente, menos premiada pelo resultado das vendas, das canções de autor, estabelecendo-se também como compositora.
Depois de uma vida de concertos em várias partes do mundo, Rita anuncia no primeiro dia de 2006 que deixa definitivamente os palcos, cantando pela última vez em público.
Nas eleições legislativas italianas de 2006, Rita candidatou-se a uma vaga no senado italiano, disputando pela circunscrição dos italianos no exterior, não sendo eleita.
Atualmente Rita mora em Chiasso, no cantão de Ticino, Suíça e possui uma segunda residência em Ariccia, distante 28km de Roma. Seus dois filhos também moram na Suíça. Alessandro é apresentador de um programa na TV Suíça-Italiana e Giorgio é guitarrista e cantor de rock.

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

ESTAÇÃO CINEMA - Escorregando para a Glória


Na patinação no gelo em duplas o sucesso depende de uma mistura perfeita de força e sofisticação, coragem e arte, músculos e refinamento. O campeonato mundial do esporte costumava ocorrer em um universo elegante, até a explosão da rivalidade entre o astro Chazz Michael Michaels (Will Ferrell) e do garoto prodígio Jimmy MacElroy (Jon Heder). Chad e Jimmy já se enfrentaram em campeonatos anteriores, mas a rivalidade faz com que briguem em plena pista de patinação, o que faz com que o mascote seja incendiado. Como resultado, ambos são expulsos do esporte. Três anos e meio depois, ambos ainda não se adequaram fora do esporte. É quando eles decidem se reunir para realizar algo inédito: ser a 1ª dupla de homens da história da patinação no gelo. Duração: 93 min.
(Fonte: http://www.adorocinema.com/filmes/escorregando-para-a-gloria)

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011


******VELHAS BOAS MUSICAL******
Esta semana: She's my Girl - Morris Albert


She's my girl
When the sun goes down
When the moon comes up
When the light is off

She's my friend
When I need a friend
When I want her love... I can have it

We've got everything we need
We share everything we have
We have sadness and happiness... Oh! Darling

We cry and laugh everytime
We love all the love we feel
And we feel all the love we make

She's my girl
When the sun goes down
When the moon comes up
When the light is off

She's my woman
When I need a woman
When my body is asking...
We can love


CONFIRA A TRADUÇÃO:

Ela é minha garota
Quando o sol se põe
Quando a lua aparece
Quando a luz está apagada

Ela é minha amiga
Quando preciso de um amigo
Quando quero seu amor... Eu posso ter

Nós temos tudo que precisamos
Nós dividimos tudo que temos
Nós temos tristezas e felicidades...
Nós choramos e sorrimos o tempo todo
Nós amamos todo amor que sentimos
E nó sentimos todo o amor que fazemos

Ela é minha mulher
Quando preciso de uma mulher
Quando meu corpo está pedindo
Nós podemos amar

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011


Morris Albert, nome artístico de Maurício Alberto Kaisermann, é um cantor e compositor brasileiro, que vendeu discos em mais de 50 países, totalizando 160 milhões de cópias. Famoso por seu sucesso de 1975 "Feelings" e "She's my girl" bem como outras canções que compôs em inglês. Atualmente vive na Itália.
Com o sucesso como cantor, participou de alguns programas de Os trapalhões na fase da TV Tupi, quando eram colocados quadros musicais intercalados com os quadros cômicos. Outro cantor que teve participação na mesma época foi Ronnie Von. Um dos quadros mais hilários foi a "tradução" para o português de Renato Aragão para a canção Feelings, chamada por ele de "Filho". O novo CD do cantor Morris Albert, Felings Live and Forever, é composto de algumas canções dos seus antigos discos, interpretados de maneira especial, com um som simples e pessoal, gravado ao vivo, arranjadas e interpretadas como um tributo direto do seu próprio estilo, como Dock of the Bay, de Otis Redding, Gonna Love You More, gravada por George Benson e outras. Destaque para o pout-pourri Blue Beatles Medley, uma interpretação fantástica de sucessos dos Beatles.

domingo, 23 de janeiro de 2011


Flashback era a primera (e única) revista totalmente dedicada ao público saudosista de todas as épocas. Publicada pela editora Abril, foi lançada em 2005 trazendo matérias dos anos 60, 70, 80 e 90. Também, Flashback era a revista preferida dos colecionadores que curtiam essas coisas (ou ainda curtem) esse mundo de recordações como os desenhos animados, séries, novelas que a gente assistia, cantores e muitos outros hobbies da galera que viveram a infância e a adolescência naqueles bons e velhos tempos que não voltam. Sua última publicação foi na segunda metade de 2006, por motivos inexplicáveis, a editora parou de circular a revista Flasback, que vai deixar órfãos os leitores que viajavam nas páginas de pura nostalgia e que sem ela nas bancas, vai deixar muitas saudades.