sábado, 2 de junho de 2018

VELHAS BOAS ATUALIDADES 
Carlos Villagrán vai aposentar o personagem

Carlos Villagrán anunciou ontem (na sexta, 01/06) que deixara de interpretar o Quico, personagem de Chaves. A série deixou de ser gravada no início dos anos 80 mas o ator e humorista ainda se apresentava como personagem em seus shows.
O ator se pronunciou em uma entrevista à emissora mexicana Televisa:
"Chegou o momento de pendurar as chuteiras do Quico", disse Villagrán que interpreta o personagem há 48 anos, "sinto que devo me retirar por respeito ao público e a mim mesmo".

Parafraseando o cantor Juan Gabriel, disse que "Deus perdoa, mas o tempo não". Rindo, ele completou dizendo que seu pior inimigo é "uma criança que está na televisão, que sou eu, mas com 48 anos a menos".
A série começou a ser gravada em 1971, quando Villagrán tinha 26 anos. "Chaves" começou a ser transmitido no Brasil em 1984, quatro anos depois do término das gravações das sete temporadas. Tradicionalmente exibido pelo SBT, a série também passou a integrar a programação do Multishow no último mês.

domingo, 22 de abril de 2018

******VELHAS BOAS MUSICAL******
Esta semana - O Feiticeiro (As Melindrosas)

Ao feiticeiro disse que amo você
Ao feiticeiro disse que amo você
Aí então o feiticeiro me falou e disse:
"Uh eeh uh aah aah
Ting tang wallawalla bingbang
Uh eeh uh aah aah
Ting tang wallawalla bingbang"


 Eu disse a ele que você nunca me quis
 Aí eu disse que você nunca me amou
 Aí então foi que ele me aconselhou e disse:
"Uh eeh uh aah aah
Ting tang wallawalla bingbang
Uh eeh uh aah aah
Ting tang wallawalla bingbang"
Você com seu jeitão está fazendo o seu jogo
E realmente eu fui um bobão
Aí então fui procurar alguém bem esperto
E foi assim que ele me falou
O feiticeiro me ensinou o que falar
O feiticeiro me ensinou o que fazer
O feiticeiro me ensinou o que falar

sexta-feira, 23 de março de 2018

Descobertas por Jorge Gambier, as irmãs Maria Odete (Gretchen), Yara, Suely (Sula) e sua amiga Paula cantavam músicas infantis em ritmo de discoteca, ficaram muito famosas e seus sucessos foram um estouro naquela época. Assim nasceram As Melindrosas, a primeira girl band brasileira lançaram em 1978 o LP "Disco Baby", que apresentava cantigas de roda gravadas em estilo disco music (que era um fenômeno musical que só tinha nos EUA, também ganhou o Brasil inteiro). Elas se apresentaram em diversos programas de TV, inclusive, as meninas se destacavam muito até que...Em 1979, quando As Melindrosas estavam prestes a lançar mais um disco, Gretchen deixa o grupo e parte para carreira solo e o grupo continuou firme e forte, agora como um trio de garotas (Suely, Yara e Paula). No ano seguinte, os discos que elas lançaram ultrapassaram quatro milhões de cópias vendidas e até estrelaram o primeiro (e único) filme "É Proibido Beijar As Melindrosas/Vamos Cantar Disco Baby", dirigido por J. B. Tanko. Já em 1981, Suely deixa o grupo para casar e entra uma nova integrante: Elizilda, anos mais tarde, ela volta para o grupo. Em 1983, As melindrosas se separam (por enquanto), Yara e Elizilda formam um novo grupo musical em 1984, Hora Certa (junto com Faty e André).  Eles não foram muito conhecidos, só emplacaram com um sucesso (A Colegial) e no mesmo ano, o grupo acabou. As Melindrosas voltam em sua formação original (ainda sem a Gretchen, que estava fazendo mais sucesso como cantora solo e ficou conhecida como a "Rainha do Bumbum"), mas sem sucesso, no final de 1985 o grupo acabou de vez. Em 1986, Suely adota seu nome artístico como Sula Miranda e se dedicou a cantar músicas sertanejas. Neste mesmo ano, Sula era conhecida como a "Rainha dos Caminhoneiros" até o final dos anos 90, anos mais tarde, a cantora abandonou a carreira de sertaneja para se dedicar agora à música gospel (que está até hoje). Já a Yara, foi cantora solo em 1990 e atualmente ela está sumida da mídia. A Paula se tornou dona de um restaurante em São Paulo e Gretchen atualmente é casada (mais uma vez), continuou seguindo sua carreira de cantora, está morando em outro país e atualmente ela reapareceu participando do clipe da cantora internacional Katy Perry (cantando e dançando o sucesso "Swish Swish") e depois se aposentou. Com certeza, As Melindrosas continuaram para sempre ouvidas nos discos e também em nossas lembranças.

sábado, 23 de setembro de 2017

VELHAS BOAS ATUALIDADES

Nova integrante de "As Meninas Super Poderosas" é apresentada

 A notícia de que "As Meninas Superpoderosas" iam ganhar mais uma integrante correu rápido pela internet! O desenho, que marcou a infância de muita gente, pegou os telespectadores de surpresa com a divulgação de uma quarta menina. Neste domingo (17), a integrante, anunciada como irmã mais velha do trio, apareceu pela primeira vez no episódio "Power of Four", nos Estados Unidos. Seu nome, que ainda não tinha sido divulgado, foi revelado: ela se chama Bliss - "alegria" ou "felicidade" em português. Esta é a primeira vez que o desenho mostrará uma protagonista negra. Assim como suas irmãs, feitas de "açúcar, tempero e tudo que há de bom", Bliss tem alguns poderes especiais, como uma habilidade sobrenatural de luta, teletransporte, telecinese e força. Para todos que sentem falta da animação, o Cartoon Network também afirmou que a personagem aparecerá num episódio especial, mostrado aqui nas telinhas do Brasil em 19 de outubro, às 19h30. O mistério é saber se a nova Superpoderosa, dublada pela cantora sul-africana Toya Delazy, será parte fixa do elenco ou só fará participação em alguns capítulos.

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

ESTAÇÃO CINEMA - CASSIOPÉIA

O filme conta a história do planeta Ateneia, localizado na constelação de Cassiopeia, que um dia é atacado por invasores do espaço que começam a sugar sua energia vital. Um sinal de socorro é enviado para o espaço sideral pela astrônoma local, Liza, e recebido por quatro heróis que viajam através da galáxia para salvar o planeta. A ambientação sugere (também por inviabilidade técnica para se produzir árvores e outros elementos caóticos naturais) um ambiente completamente tomado pela artificialidade. Numa primeira análise, pode-se pensar que é uma ideia rasa, mas o formato da resposta ao ataque do "predador gigante" evidenciam uma abordagem biológica no roteiro, como se os habitantes liberassem "anticorpos" ou "substâncias" encapsuladas para defesa a partir de armazéns de emergência, contrastando com o formato estado-unidense, que evidentemente escolheria o míssil.
GÊNERO: animação/aventura
DURAÇÃO: 80 minutos
DIREÇÃO:  Clovis Vieira
FONTE: https://pt.wikipedia.org/wiki/Cassiopeia_(filme)

domingo, 2 de abril de 2017

******VELHAS BOAS MUSICAL******
Esta semana: Charrne do Mundo - Marina Lima

Eu tenho febre, eu sei
É um Fogo leve
que eu peguei do mar ou de amar não sei
Mas deve ser da idade
Acho que o mundo faz charme
E que ele sabe como encantar
Por isso sou levada e vou
Nessa magia de verdade
O fato é que sou sua amiga
Ele me intriga demais
É um mundo tão novo
Que mundo mais louco
Até mais que eu
É febre e amor e eu quero mais
Tudo que eu quero sério
É todo esse mistério

segunda-feira, 6 de março de 2017

Nascida no Rio de Janeiro, Marina Correa Lima mudou-se ainda criança para a capital dos Estados Unidos, Washington, onde viveria até os 22 anos, pois o pai, Ewaldo Correa Lima, era economista do Banco Interamericano de Desenvolvimento. Neste período ganhara um violão do pai, como um pretexto para sentir menos falta do país natal. Marina é irmã de Roberto, economista, e de Antônio Cícero, poeta e filósofo. Marina iniciou sua carreira em 1977, quando teve uma canção gravada por Gal Costa, "Meu Doce Amor". Marina musicar um dos poemas do irmão mais velho, Antônio Cícero e obteve reconhecimento. Estabelecida essa conexão "emocional", Marina e Cícero esqueceram antigas divergências ocasionadas pela idade e, a partir de então, trilhariam uma parceria de sucesso De volta ao Rio de Janeiro, assina um contrato e lança o primeiro LP, Simples Como Fogo em 1979. Em 1980, Marina participou do especial Mulher 80 (Rede Globo), o programa exibiu uma série de entrevistas e musicais cujo tema era a mulher e a discussão do papel feminino na sociedade de então, abordando esta temática no contexto da música nacional e da inegável preponderância das vozes femininas, com Maria Bethânia, Fafá de Belém, Zezé Motta, Marina Lima, Simone, Elis Regina, Joanna, Gal Costa, Rita Lee e as participações especiais das atrizes Regina Duarte e Narjara Turetta, que protagonizaram o seriado Malu Mulher.

PERDA, DEPRESSÃO E RETORNO AOS PALCOS
Após a morte do pai, no período de produção de O Chamado (1993) e o cancelamento da turnê do CD posterior a este, Abrigo, de 1995, provocado por este e outros problemas pessoais, Marina entra em depressão por causa da morte do pai e da separação da mulher que ela amava. Na época alegava que o empecilho eram problemas nas cordas vocais. Mesmo neste estado, lança em 1996 o CD Registros à Meia Voz, com versões próprias para letras de Paulinho da Viola, Zélia Duncan, Christiaan Oyens, Roberto Carlos e Erasmo Carlos. Em novembro de 1999, Marina fez um ensaio para a revista revista Playboy, quando recebeu R$2,5 milhões para posar. Mais tarde Marina afirmou que problema na voz foi devido erro médico. Em 2000, retorna aos palcos com Síssi na Sua, um espetáculo com influência teatral. O ano de 2001 fez com que o trabalho de Marina Lima tivesse mais ainda em evidência pelo fato de o álbum com a canção "Setembro", que serviu de nome para o disco, ter além do rock, uma pegada eletrônica. Neste ano "No Escuro" era trilha sonora da novela O Clone; "Notícias", da novela Esperança. Em 2003, no acústico MTV, apesar de ainda deficiente, é nítida a melhora na voz em "A Não Ser Você", "Ainda é Cedo" (música de Renato Russo) ou até mesmo em "Sugar"- canção gravada primeiramente em estúdio e que fez parte da novela Agora é que São Elas, da TV Globo. Em outubro de 2005, Marina estreia o novo show Primórdios com duas temporadas, por duas semanas em São Paulo, seguida de outra temporada em janeiro. Em agosto de 2006, lança o CD Lá Nos Primórdios, com a voz mais firme e forte. Anuncia que está fazendo aula de canto e fono, para reaprender a usar a voz. Em novembro de 2006 registrou o show "Primórdios" em DVD com show fechado no Auditório do Ibirapuera (SP). O DVD ainda se mantém inédito, sem data para edição. Em 2007, Marina se lança na estrada com "Anna Bella", a releitura de "Cara", "Meus Irmãos" num novo show, o Topo Todas Tour. O show é um apanhado de seus maiores sucessos com as canções inéditas de seu último disco, o "Lá nos Primórdios". O show foi encerrado na metade de 2008 e deu lugar para que Marina concebesse o "Marina Lima e Trio em Concerto".

OS ALTOS E BAIXOS DA FAMA DE MARINA LIMA
Em 2009, a cantora planejava lançar o registro em DVD do show "Primórdios" e o CD de inéditas que veio preparando desde o início deste ano, contando com a produção de Edu Martins, que ficou para 2011. Em 2010 Marina planejava lançar seu primeiro livro, o qual se chamaria "Marina Lima Entre as Coisas", mas problemas com gráfica e editora impossibilitaram a cantora de lançar. Em 2011, após a morte da mãe, Marina vendeu sua cobertura na Lagoa Rodrigo de Freitas (RJ) e se mudou para São Paulo, no bairro de Higienópolis, e lá compôs todas as novas canções do seu próximo álbum, Clímax, lançado em meados do mesmo ano. O disco foi aclamado pela crítica e rendeu os hits "Não Me Venha Mais com o Amor" e "Pra Sempre" (composta e gravada com Samuel Rosa). Além de entrar na estrada com a turnê do disco Clímax, com a música "Pra Sempre", Marina conseguiu uma indicação ao VMB 2011 na categoria "Melhor Música". Em 2013, lançou o seu livro de memórias e percepções, intitulado "Maneira de Ser". No final de 2015, lançou o disco "No Osso", registro ao vivo da turnê de voz e violão que vem fazendo desde o fim de 2014. O álbum possuiu releituras de clássicos como "Virgem", duas canções inéditas - "Da Gávea" e "Partiu" - e duas faixas bônus gravadas em estúdio: um cover de "Can’t Help Falling in Love", sucesso do cantor norte-americano Elvis Presley e uma versão da inédita "Partiu" gravada com a banda Strobo.